Notícias

BRASIL FICA EM OITAVO NO SUPER DESAFIO BRA DE RUGBY SEVENS; AUSTRÁLIA É CAMPEÃ

Tupis tiveram duro teste ao enfrentar as melhores equipes do mundo na modalidade olímpica e igualaram melhor marca em etapas da Série Mundial

21/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Barueri (SP), 21 de fevereiro de 2016 – A Seleção Brasileira de Rugby Sevens Feminino terminou em oitavo lugar no Super Desafio BRA de Rugby Sevens, competição que vale como a segunda etapa fixa da Série Mundial da modalidade. Disputada na Arena Barueri neste fim de semana, dias 20 e 21, o torneio terminou com a Austrália campeã.

“Foi um grande teste para nosso time. Jogamos diante das melhores do mundo e mostramos que estamos evoluindo. Tivemos uma importante vitória contra o Japão, no primeiro dia, que nos colocou entre as oito primeiras colocadas. Agora precisamos trabalhar forte para aprimorar tudo o que precisamos, até os Jogos Olímpicos”, afirma Baby Futuro, uma das mais experientes da Seleção.

 

Os jogos

Após um primeiro dia com duas derrotas e uma vitória, o Brasil iniciou o segundo dia jogando as quartas de final contra a favorita Nova Zelândia. Apesar do esforço das Tupis, as neozelandesas venceram o jogo por 41 a 0.

 

O resultado colocou o Brasil na disputa da taça prata, onde as Tupis reencontraram a França. Assim como no primeiro dia, as francesas impuseram seu jogo e venceram as brasileiras, desta vez por 24 a 7. Na disputa pelo sétimo lugar, nossas meninas reencontraram a Inglaterra, em jogo que terminou também com o placar em 24 a 7.

 

Quem fez bonito no segundo dia de jogos foi a Austrália, que derrotou Fiji (10 a 0), Estados Unidos (34 a 0) e Canadá (29 a 0), na grande final, para se tornar bicampeã do Super Desafio BRA de Rugby Sevens, a etapa brasileira do Circuito Mundial – o primeiro título em solo brasileiro foi conquistado em 2014.

 

Com o resultado, o Brasil subiu para o 9º lugar na classificação geral da Série Mundial de Sevens. A próxima etapa da Série Mundial será disputada nos dias 8 e 9 de abril, em Atlanta (EUA).

 

Classificação final do Super Desafio BRA de Rugby Sevens

1º - Austrália

2º - Canadá

3º - Nova Zelândia

4º - Estados Unidos

5º - França

6º - Fiji

7º - Inglaterra

8º - Brasil

9º - Rússia

10º - Japão

11º - Espanha

12º - Irlanda

 

Resultados do Super Desafio BRA de Rugby Sevens

 Austrália 29 x 0 Canadá (Austrália campeã)

Estados Unidos 0 x 28 Nova Zelândia (3º lugar)

Fiji 5 x 17 França (Taça prata)

Inglaterra 24 x 7 Brasil

Japão 12 x 38 Rússia (Taça bronze)

Espanha 19 x 0 Irlanda

Nova Zelândia 10 x 19 Canadá

Austrália 34 x 0 Estados Unidos

Brasil 7 x 24 França

Fiji 26 x 12 Inglaterra

Irlanda 0 x 15 Rússia

Espanha 7 x 17 Japão

Estados Unidos 22 x 12 Inglaterra

França 0 x 19 Canadá

Nova Zelândia 41 x 0 Brasil

Austrália 10 x 0 Fiji

Resultados do primeiro dia do Super Desafio BRA de Rugby Sevens

Inglaterra 38 x 5 Japão

França 29 x 10 Brasil

Austrália 26 x 17 Fiji

Canadá 26 x 7 Irlanda

Rússia 12 x 19 Espanha

Nova Zelândia 35 x 5 Estados Unidos

Inglaterra 24 x 12 Brasil

França 36 x 7 Japão

Austrália 19 x 5 Irlanda

Canadá 24 x 7 Fiji

Rússia 10 x 19 Estados Unidos

Nova Zelândia 46 x 0 Espanha

Inglaterra 12 x 17 França

Japão 5 x 27 Brasil

Austrália 29 x 14 Canadá

Fiji 15 x 7 Irlanda

Rússia 10 x 40 Nova Zelândia

Espanha 0 x 33 Estados Unidos

 

Imagem: João Neto/Fotojump (mais imagens em www.fotojump.com.br)

Ler mais

FORA DE CASA, BRASIL MOSTRA EVOLUÇÃO, MAS CANADÁ LEVA A MELHOR NO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AMÉRICAS

Tupis anotam três tries e ficam perto de pontos bônus. Agora, o time visa ao duelo diante dos Estados Unidos, no próximo dia 27, na Arena Barueri

21/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

 

 

Langford (CAN) – Com garra e superação, a Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV deu mais um grande passo em seu processo de desenvolvimento a longo prazo. Os Tupis enfrentaram o Canadá, no último sábado (20), no Westhills Stadium, em Langford, pela terceira rodada do Americas Rugby Championship, o maior torneio das Américas na categoria. Mesmo com a derrota por 52 a 25, o Brasil mostrou o seu crescimento.

 

Os tries brasileiros na partida foram anotados por Ige, Beukes e Daniel Sancery. Os Tupis ficaram próximos, ainda, de levar na bagagem pontos bônus para a sequência da competição.

 

Na próxima rodada, o Brasil volta a ficar perto de sua torcida. A equipe verde e amarela encara os Estados Unidos, líderes do torneio, na Arena Barueri, a partir das 20h (horário de Brasília). Os ingressos para o confronto são gratuitos, mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível.

 

O JOGO

 

No Westhills Stadium, o Canadá imprimiu pressão logo nos primeiros instantes. ‘Top 20’ mundial, os donos da casa abriram o placar com try de Rumball, que fez a festa da torcida. Ainda no início, o Brasil resistiu ao ímpeto dos norte-americanos e diminuiu a diferença com Moisés, em penal.

 

Em jogo cheio de alternâncias, os Canucks (apelido da seleção canadense) mantiveram a dianteira no marcador, mas seguidos pelos Tupis. O try de Beukes, após scrum no ataque, deu gás extra aos brasileiros ao longo do confronto.

 

Na reta final do primeiro tempo, a Seleção Brasileira ficou com um homem a menos. Com isso, o Canadá aproveitou a vantagem numérica em campo para ampliar a diferença no placar.

 

Na segunda etapa, os Tupis reagiram e mostraram ainda mais atributos do processo de desenvolvimento a longo prazo. O Brasil, em determinados momentos, foi superior ao adversário. Por vezes, o Canadá se viu encurralado diante da pressão tupiniquim.

 

O resultado do bom momento chegou com o try de Daniel Sancery, após passe de Moisés. O Canadá descontou com try de Panga, mas os pontos não reduziram o ímpeto dos brasileiros.

 

O terceiro try verde e amarelo não demorou a sair. Ige cruzou a linha para deixar o jogo em 38 a 25, a favor dos donos da casa. Até então, os Tupis estavam próximos de garantir pontos bônus. Contudo, os Canucks reagiram e, com passes rápidos e compactação, chegaram ao placar final do confronto.

 

Apesar da derrota, os Tupis saíram de campo com a cabeça erguida por conta do desempenho positivo ao longo do duelo e enalteceram o processo de Alto Rendimento.

 

Para mais informações, acesse o site oficial da Confederação Brasileira de Rugby.

 

Serviço
Americas Rugby Championship
Canadá 52 x 25 Brasil – Terceira Rodada

 

Data/Horário: 20 de fevereiro de 2016, às 22h (horário de Brasília)
Local: Westhills Stadium, em Langford (CAN)
Árbitro: Joaquín Montes
Auxiliares: Harry Mason e Doug Hamre

 

Pontuadores – Canadá
Tries:
Rumball (2x), Panga (2x), Ciulini, Barkwill e Hamson.
Conversões: Ferguson (5x) e Staller (2x)
Penais: Ferguson

 

Pontuadores – Brasil
Tries:
Beukes, Daniel Sancery e Ige.
Conversões: Moisés (2x)
Penais: Moisés (2x)

 

Canadá

 

Formação: 1 - Djustica Sears-Duru (17 - Hubert Buydens); 2 - Ray Barkwill (capitão) (16 - Eric Howard); 3 - Jake Ilnicki (18 - Rob Brower); 4 - Paul Ciulini; 5 - Liam Chisholm (19 - Kyle Baillie); 6 - Lucas Rumball; 7 - Alistair Clark; 8 - Clay Panga (20 - Mike Hamson); 9 - Andrew Ferguson (21 - Jake Robinson); 10 -  Gradyn Bowd (23 - Brett Johnson); 11 - Duncan Maguire; 12 - Nick Blevins; 13 - Brock Staller (23 - Brett Johnson); 14 - Dan Moor (22 - Joe Dolesau) e 15 - Patrick Parfrey.
 

Brasil

 

Formação: 1 - Jonatas dos Santos (Band Saracens) (17-  Wilton Rebolo (São José)); 2 - Daniel Danielewicz (capitão) (Desterro) (16 - Yan Rosetti (CUBA, Argentina)); 3 - Vitor Ancina (Curitiba) (18 - Lucas Abud (SPAC)); 4 - Lucas Piero Moraes (Desterro) (19 - Matheus Wolf (Joaca)); 5 - Luiz Vieira (Oyonnax, FRA); 6 - Mark Jackson (Desterro) (20 - João Luiz da Ros (Desterro)); 7 - Cleber Dias (Wallys); 8 - Nicholas Smith (SPAC); 9 - Johannes Beukes Cremer (Pasteur) (22 - Laurent Bourda-Couhet (Band Saracens)); 10 - Lucas Duque (São José); 11 - Lucas Muller (Desterro); 12 - Moisés Duque (São José); 13 - Felipe Sancery (*em transição);  14 - Stefano Giantorno (*em transição) e 15 - Daniel Sancery (*em transição).

 

Reservas: 21 - Mateus Estrela (Niterói) e 23 Guilherme Coghetto (Farrapos). 

Ler mais

BRASIL BATE JAPÃO E ENCARA A NOVA ZELÂNDIA NAS QUARTAS DE FINAL DO SUPER DESAFIO BRA DE RUGBY SEVENS

Com vitória sobre as japonesas, Tupis terminaram o primeiro dia de jogos como a melhor terceira colocada; Segundo dia define a grande campeã do torneio

20/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Barueri, 20 de fevereiro de 2016 – As Tupis da Seleção Brasileira Feminina de Rugby demonstraram muita garra e vontade no primeiro dia de jogos do Super Desafio BRA de Rugby Sevens, torneio que vale como a 2ª etapa da Série Mundial da Modalidade. Com uma vitória sobre o Japão, conquistada da última rodada, e duas derrotas, a equipe terminou como a melhor terceira colocada da fase de grupos. Os resultados credenciaram as brasileiras para as quartas de final, diante da poderosa Nova Zelândia. O segundo dia de jogos do Super Desafio BRA de Rugby Sevens será neste domingo (21), das 11h às 19h, na Arena Barueri.

 

“Sabíamos que os dois primeiros jogos seriam muito difíceis, contra equipes que estão no top 5 do ranking mundial. Demos nosso melhor, mantivemos o plano de jogo e no terceiro confronto conseguimos a vitória que nos classificou para as quartas de final. Agora é manter o foco para buscar o melhor resultado em uma etapa da Série Mundial em nossa história”, afirma Raquel Kocchann, da Seleção Brasileira de Rugby.

 

O primeiro dia de jogos

Dividido em dois dias, o Super Desafio BRA de Rugby Sevens conta com a participação das 12 melhores equipes de rugby sevens feminino do mundo. O Brasil, no grupo C, não teve vida fácil. Diante de potências da modalidade, como França e Inglaterra, nossas meninas mostraram muito empenho, mas não conseguiram resultados positivos. Vitória das francesas por 29 a 10 e das inglesas por 24 a 12.

 

Na terceira e decisiva partida, contra o Japão, o Brasil dependia da vitória para conseguir a classificação para as quartas de final. Pressionando desde o primeiro minuto, as Tupis abriram o placar com try de Raquel, convertido, em rápida jogada pela esquerda: 7 a 0 Brasil. Baby marcou o segundo try brasileiro, infiltrando pelo meio, enquanto Juka arrancou pela direita para anotar o terceiro: 17 a 0. Raquel marcou o 4º try das Tupis, que ainda viram as japonesas diminuírem no fim do primeiro tempo. 22 a 5 para o Brasil no intervalo.

 

Na volta, o Brasil seguiu pressionando as japonesas e mantendo a bola no campo de ataque. Após muita insistência, Paulinha marcou o último try do jogo, definindo o placar em 27 a 5 para o Brasil.

 

O grupo A teve a Austrália em primeiro lugar, seguida por Canadá, Fiji e Irlanda. Já o grupo B foi facilmente dominado pela Nova Zelândia, seguida por Estados Unidos, Espanha e Rússia.

 

No segundo dia de jogos, o Brasil encara a favorita Nova Zelândia, pelas quartas de final. Os jogos serão realizados a partir das 11h da manhã e seguem até às 19h, com a disputa do título do Super Desafio BRA de Rugby Sevens. Os jogos têm transmissão ao vivo pelo site da World Rugby e do SporTV.

 

Torneio universitário

Como prévia ao Super Desafio BRA de Rugby Sevens, foi disputado na Arena Barueri um torneio universitário, com os jogos entre Seleção USP A, USP B, Casper Líbero, Makenzie e Unesp de Rio Claro.

 

Resultados do primeiro dia de jogos do Super Desafio BRA de Rugby Sevens:

Inglaterra 38 x 5 Japão

França 29 x 10 Brasil

Austrália 26 x 17 Fiji

Canadá 26 x 7 Irlanda

Rússia 12 x 19 Espanha

Nova Zelândia 35 x 5 Estados Unidos

Inglaterra 24 x 12 Brasil

França 36 x 7 Japão

Austrália 19 x 5 Irlanda

Canadá 24 x 7 Fiji

Rússia 10 x 19 Estados Unidos

Nova Zelândia 46 x 0 Espanha

Inglaterra 12 x 17 França

Japão 5 x 27 Brasil

Austrália 29 x 14 Canadá

Fiji 15 x 7 Irlanda

Rússia 10 x 40 Nova Zelândia

Espanha 0 x 33 Estados Unidos

 

Jogos de domingo (21), às partir das 11h:

Quartas de final:

Austrália x Fiji

Nova Zelândia x Brasil

França x Canadá

Estados Unidos x Inglaterra

Disputa de 8º a 12º lugares:

Espanha x Japão

Irlanda x Rússia

Confira a tabela completa no site da World Rugby.

 

Brasil:

Paula Ishibashi “Paulinha” – SPAC
Edna Santini – São José
Julia Sardá – Desterro
Juliana Esteves “Juka” – Band Saracens
Mariana Ramalho “Mari” – SPAC
Luiza Campos – Charrua
Beatriz Futuro “Baby” – Niterói
Maíra Behrendt – SPAC
Raquel Kochhann – Charrua
Haline Scatrut – Curitiba
Amanda Araújo – Niterói
Bianca Santos – São José

 

Imagem: João Neto/Fotojump

Ler mais

FORA DE CASA, BRASIL ENCARA CANADÁ NO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AMÉRICAS

Tupis entram em campo neste sábado (20), a partir das 22h (horário de Brasília), pela terceira rodada do Americas Rugby Championship

19/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Langford (CAN) – A Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV está em solo canadense para a disputa da terceira rodada do Americas Rugby Championship, o maior torneio das Américas na categoria. Os Tupis encaram o Canadá, neste sábado (20), às 22h (horário de Brasília), no Westhills Stadium, em Langford.

 

Diante de Chile e Uruguai, o Brasil demonstrou garra e superação para garantir ponto bônus em cada duelo. Nas duas rodadas, os Tupis tiveram grande desempenho contra as equipes melhores ranqueadas na classificação geral da World Rugby, entidade internacional que rege o esporte.

 

“O Americas Rugby Championship tem sido uma grande oportunidade para o Brasil crescer na modalidade. Fizemos uma excelente preparação para este torneio e estamos conseguindo um bom desempenho. Jogos de alto nível, com seleções que participam da Copa do Mundo de Rugby, nos ajudam muito em nossos objetivos”, analisa João da Ros, o Ige.

 

“Vivenciamos em cada encontro grandes virtudes do nosso esporte, especialmente após as partidas, onde há grande demonstração de respeito e confraternização entre as equipes. Para nós, a competição é um sonho que está se concretizando e faremos cada vez mais esforços para honrar este compromisso”, complementa o atleta.

 

O Americas Rugby Championship é a maior competição em que a Seleção Brasileira de Rugby XV já participou. Um dos pilares do projeto de Alto Rendimento é o de encarar as melhores equipes para que os atletas adquiram experiência. O processo de desenvolvimento a longo prazo já foi implementado em diversas nações que, atualmente, figuram no topo do ranking. Este é o caso da Argentina, semifinalista na última Copa do Mundo de Rugby.

 

“O Americas Rugby Championship é muito importante para o desenvolvimento do esporte no país, tanto do ponto de vista de Alto Rendimento, já que o torneio fornece a competência que necessitamos para aumentar o nível de performance da nossa Seleção: são 5 jogos por ano, todos contra times que hoje estão em posição superior a nossa, como do ponto de vista de disseminação, já que, o torneio nos dá a oportunidade de colocar mais jogos da Seleção na televisão, permitindo que cheguemos em muitos mais brasileiros”, afirma Agustín Danza, CEO da Confederação Brasileira de Rugby.

 

Com a participação no torneio, o Brasil se destaca por estar entre as principais seleções do continente, aproximar o público de estrelas mundiais e desenvolver a experiência de seus atletas. Para mais informações, acesse o site oficial da Confederação Brasileira de Rugby.

 

Confira, abaixo, os jogadores relacionados para o duelo diante dos canadenses:

 

Cleber Dias (Wallys)
Caique Silva (CUQ-ARG)
Daniel Sancery (*em transição)
Daniel Danielewicz (Desterro)
Felipe Sancery (*em transição)
Felipe Tissot (Curitiba)
Guilherme Coghetto (Desterro)
João Luiz da Ros (Desterro)
Johannes Beukes Cremer (Pasteur)
Jonatas dos Santos (Bandeirantes Saracens)
Laurent Couhet (Bandeirantes Saracens)
Lucas Abud (SPAC)
Lucas Muller (Desterro)
Lucas Piero de Moraes (Desterro)
Lucas Duque (São José)
Luiz Gustavo Viera (Oyonnax-FRA)
Mark Jackson (Desterro)
Mateus Estrela (Niterói)
Matheus Wolf (Joaca)
Matheus Vergueiro (Jacareí)
Moisés Duque (São José)
Nicholas Smith (SPAC)
Stefano Giantorno (*em transição)
Vitor Ancina (Curitiba)
Wilton Rebolo (São José)
Yan Rosetti (Cuba-ARG)
Técnico: Rodolfo Ambrosio.

Serviço
Americas Rugby Championship 
Canadá x Brasil – Terceira Rodada

 

Data/Horário: 20 de fevereiro de 2016, às 22h (horário de Brasília)
Local: Westhills Stadium, em Langford (CAN)
Árbitro: Joaquín Montes
Auxiliares: Harry Mason e Doug Hamre

 

Imagem: João Neto/Fotojump

Ler mais

CAPITÃS POSAM PARA FOTO OFICIAL DO SUPER DESAFIO BRA DE RUGBY SEVENS

12 Atletas participaram de evento nesta quinta-feira (18). A 2ª Etapa do Circuito Mundial acontecerá neste final de semana, em Barueri

18/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Barueri (SP) – Com as principais seleções do mundo, o município de Barueri deu o chute inicial para o Super Desafio BRA de Rugby Sevens – 2ª Etapa do Circuito Mundial da categoria -, nesta quinta-feira (18). As capitãs das 12 equipes participantes se reuniram para a foto oficial do evento no terraço do Hotel Bourbon Alphaville, na Grande São Paulo.

 

Este é o primeiro desafio da Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens, em casa, neste ano olímpico. A competição será disputada na Arena Barueri, nos próximos dias 20 e 21. As meninas do país tupiniquim integram o Grupo C, ao lado de Inglaterra, Japão e França. Parte das equipes participantes já garantiu presença nos Jogos Rio-2016.

 

“É muito gratificante jogar em casa. Ainda mais em um Circuito Mundial, competição em que lutamos muito para participar. Essa será a 3ª temporada seguida em que o Brasil recebe o torneio. Estamos muito felizes e focadas. Treinamos duro nas últimas semanas já pensando no campeonato”, afirma Paula Ishibashi, capitã da Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens.

 

Além de Paula, participaram da foto oficial do evento as capitãs Shannon Parry (Austrália), Sarah Goss (Nova Zelândia), Ekaterina Kazakova (Rússia), Kelly Griffin (Estados Unidos), Makiko Tomita (Japão), Lucy Mulhall (Irlanda), Alice Richardson (Inglaterra), Ana Roquica (Fiji), Fanny Horta (França), Jen Kish (Canadá) e Elisabeth Martinez Garcia (Espanha).

 

Sob o comando do técnico Chris Neill, as brasileiras intensificaram os treinamentos físicos, técnicos e táticos visando ao campeonato. Na primeira etapa, disputada em Dubai, as meninas figuraram entre as 10 melhores classificadas.

 

“Para esta etapa, temos meninas estreantes, como a Bianca Santos. Ela tem um grande potencial, e isso renova as energias do grupo. Estamos todas focadas e bem fisicamente para a competição”, completa Paulinha.

 

Além de acompanhar uma modalidade olímpica e ver de perto grandes jogadoras, os torcedores que forem até a Arena Barueri terão à disposição um festival de foodtrucks e diversas ações de patrocinadores. Os ingressos para o torneio são gratuitos, mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível.

 

A temporada 2015/16 da competição feminina conta com quatro etapas. A primeira delas foi realizada em Dubai, no último ano. Após Barueri, Estados Unidos e Canadá fecham o calendário.

 

O Super Desafio BRA de Rugby Sevens tem patrocínio máster do Bradesco e é apoiado por Prefeitura de Barueri e Bourbon Business Hotel Alphaville. O Circuito Mundial é realizado por World Rugby, entidade internacional que rege o esporte, com apoio da CBRu.  Para mais informações, acesse o site da Confederação Brasileira de Rugby. Confira, abaixo, as atletas brasileiras convocadas para a competição:

 

Paula Ishibashi “Paulinha” – SPAC
Edna Santini – São José
Julia Sardá – Desterro
Juliana Esteves “Juka” – Band Saracens
Mariana Ramalho “Mari” – SPAC
Luiza Campos – Charrua
Beatriz Futuro “Baby” – Niterói
Maíra Behrendt – SPAC
Raquel Kochhann – Charrua
Haline Scatrut – Curitiba
Amanda Araújo – Niterói
Bianca Santos – São José

 

CBRu leva a sua torcida para Barueri

A Confederação Brasileira de Rugby disponibilizará dois ônibus para levar os torcedores ao Super Desafio BRA de Rugby Sevens. Em ambos os dias, o transporte partirá do Metrô Faria Lima (9h40) até a Arena Barueri. Na volta, os ônibus sairão às 19h do local da partida até o Metrô Faria Lima. Para mais informações, clique no link. As vagas são limitadas.

 

Serviço:
Super Desafio BRA de Rugby Sevens

 

Data/horário: 20 e 21 de fevereiro, a partir das 11h (horário de Brasília)
Local: Arena Barueri (Endereço: Av. Pref. João Vila-Lobos Quero, 1001 - Jardim Belval, Barueri - SP, 06422-122)
Seleções participantes: Brasil, Austrália, Canadá, Fiji, Irlanda, Rússia, Nova Zelândia, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, França e Japão.
Credenciamento de imprensa: Enviar “Nome Completo”, “RG/CPF” e “Telefone e e-mail” para kaique.ferreira@inpresspni.com.br e luis.garcia@mginpress.com.br .

 

Grupos:

Grupo A: Austrália, Canadá, Fiji e Irlanda
Grupo B: Rússia, Nova Zelândia, Espanha e Estados Unidos
Grupo C: Brasil, Inglaterra, França e Japão.

 

Sábado – (20/2) – Horário de Brasília

 

Jogo 1: 11h - Inglaterra x Japão
Jogo 2: 11h22 - França x Brasil
Jogo 3: 11h44 - Austrália x Fiji
Jogo 4: 12h06 - Canadá x Irlanda
Jogo 5: 12h28 - Rússia x Espanha
Jogo 6: 12h50 - Nova Zelândia x Estados Unidos


Jogo 7: 13h44 - Inglaterra x Brasil
Jogo 8: 14h06 - França x Japão
Jogo 9: 14h28 - Austrália x Irlanda
Jogo 10: 14h50 - Canadá x Fiji
Jogo 11: 15h12 - Rússia x Estados Unidos
Jogo 12: 15h34 - Nova Zelândia x Espanha


Jogo 13: 16h28 - Inglaterra x França
Jogo 14: 16h50 - Japão x Brasil
Jogo 15: 17h12 - Austrália x Canadá
Jogo 16: 17h34 - Fiji x Irlanda
Jogo 17: 17h56 - Rússia x Nova Zelândia
Jogo 18: 18h18 - Espanha x Estados Unidos

 

Domingo (21/2)

 

Jogo 19: 11h - 1º colocado do Grupo A x 2º melhor terceiro colocado
Jogo 20: 11h22 - 1º colocado do Grupo B x melhor terceiro colocado
Jogo 21: 11h44 - 1º colocado do Grupo C x 2º colocado do Grupo A
Jogo 22: 12h06 - 2º colocado do Grupo B x 2º colocado do Grupo C
Jogo 23: 12h28 - 3º melhor terceiro colocado x 3º melhor quarto colocado
Jogo 24: 12h50 - Melhor quarto colocado x 2º melhor quarto colocado


Jogo 25: 14h28 - Perdedor de Jogo 19 x Perdedor de Jogo 22
Jogo 26: 14h50 - Perdedor de Jogo 20 x Perdedor de Jogo 21
Jogo 27: 15h12 - Vencedor de Jogo 19 x Vencedor de Jogo 22
Jogo 28: 15h34 - Vencedor de Jogo 20 x Vencedor de Jogo 21
Jogo 29: 15h56 - Perdedor de Jogo 23 x Perdedor de Jogo 24


Jogo 30: 16h58 - Disputa da Taça Bronze: Vencedor de Jogo 23 x Vencedor de Jogo 24
Jogo 31: 17h26 - Disputa de 7º e 8º lugares: Perdedor de Jogo 25 x Perdedor de Jogo 26
Jogo 32: 17h48 - Disputa da Taça Prata: Vencedor de Jogo 25 x Vencedor de Jogo 26
Jogo 33: 18h16 - Disputa de 3 e 4º lugares: Perdedor de Jogo 27 x Perdedor de Jogo 28
Jogo 34: 18h41 - Disputa da Taça Ouro: Vencedor de Jogo 27 x Vencedor de Jogo 28

 

Imagem: João Neto/Fotojump

Ler mais

CBRU LEVA SUA TORCIDA PARA O SUPER DESAFIO BRA RUGBY 7S.

A segunda etapa do Circuito Mundial Feminino acontecerá nos dias 20 e 21 de fevereiro das 11:00 às 19:00 na Arena Barueri

15/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Agora você e seus amigos vão de graça torcer pela Seleção Brasileira de Rugby!!! A Confederação Brasileira de Rugby irá custear dois ônibus para levar sua torcida ao Super Desafio BRA Rugby 7s, nos dias 20 e 21 de fevereiro, na Arena Barueri.

Confira as informações e saiba como participar!

Saída em ambos os dias:

Horário: 9:40

Local de saída: Metrô Faria Lima

 

Retorno em ambos os dias:

Horário: 19H (saída da Arena Barueri)

Local de chegada: Metrô Faria Lima

 

Fanzone:

  • Festival de food trucks
  • Ativações dos patrocinadores com atividades e brindes.
  • Loja da Gilbert
  • DJ

 

Regras

Envie um email para onibus@brasilrugby.com.br com o assunto “Caravana do Rugby mais a data que você gostaria de ir na faixa para o Super Desafio Bra de Rugby 7s (20 ou 21 de fevereiro) *

  • No email escreva seu nome, sobrenome, número do RG e telefone celular
  • Só serão aceitas uma inscrição por email
  • As inscrições são limitadas aos primeiros e-mails; será publicada uma lista com os nomes das primeiras 180 pessoas que se inscreveram no Facebook e site da CBRu.

Em caso de desistência, favor avisar em até 48 horas sua desistência. A pessoa que não avisar estará impossibilidade de participar de outras caravanas da CBRu

Ler mais

SELEÇÃO FEMININA DISPUTA SÉRIE MUNDIAL DE RUGBY SEVENS NO PRIMEIRO DESAFIO DO ANO OLÍMPICO EM CASA

Com apoio da torcida, meninas do Brasil encaram potências da modalidade no Super Desafio BRA, em Barueri, nos dias 20 e 21 de fevereiro

15/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

São Paulo (SP) – No primeiro desafio do ano olímpico em casa, a Seleção Brasileira Feminina de Rugby Sevens terá a oportunidade de sentir o ‘calor’ da torcida antes dos Jogos Rio-2016. As meninas disputam o “Super Desafio BRA de Rugby Sevens” - 2ª Etapa da Série Mundial da categoria - nos dias 20 e 21 de fevereiro, em Barueri, região metropolitana de São Paulo. 


O Brasil integra o grupo C da competição, ao lado de Inglaterra, França e Japão. Na primeira etapa da competição, o Brasil terminou entre as 10 primeiras colocadas. O título ficou com a Austrália. Os ingressos para acompanhar os jogos são gratuitos, mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível. 


“Com os Jogos Olímpicos cada dia mais próximos, nós, da World Rugby, ficamos muito honrados em trazer a Série Mundial para São Paulo. Esta é uma grande oportunidade para o rugby feminino, pois o esporte está se tornando cada vez mais forte. Estamos muito ansiosos para o retorno da modalidade nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto. O evento será uma chance maravilhosa de mostrar ao mundo o esporte e, também, para que possamos apresentá-lo a novos territórios”, comenta Bernard Lapasset, Chairman da entidade. 


“Estamos no ano olímpico e construindo um grande legado para o esporte no país. Temos o compromisso em oferecer um evento excepcional do Circuito Mundial de Sevens Feminino, apresentando as melhores atletas da modalidade ao mundo”, declara Sami Arap Sobrinho, presidente da Confederação Brasileira de Rugby. 


Em 2015, a Série Mundial também foi realizada em Barueri. As meninas do Brasil terminaram em oitavo lugar, à frente de equipes como Fiji, Espanha e África do Sul.


Neste início de temporada, a equipe trabalha aspectos técnicos, táticos e físicos em alta intensidade sob o comando de Chris Neill. Reunidas em São Paulo, as meninas têm um calendário cheio de desafios visando à preparação para os Jogos Olímpicos Rio-2016.


“Estamos muito focados em nossos objetivos. O planejamento a longo prazo reflete nossas ambições, e a participação em torneios, como a Série Mundial, é fundamental para o desenvolvimento das atletas e o aumento de experiência com jogos diante de potências mundiais do esporte”, analisa Chris Neill, técnico do Brasil.


A temporada 2015/16 da competição feminina conta com quatro etapas. A primeira delas foi realizada em Dubai, no último ano. Após Barueri, EUA e Canadá fecham o calendário. 


O Super Desafio BRA de Rugby Sevens tem patrocínio do Bradesco e é apoiado por Prefeitura de Barueri e Bourbon Business Hotel Alphaville. O evento é realizado por World Rugby, entidade internacional que rege o esporte, e CBRu. Para mais informações, acesse o site da Confederação Brasileira de Rugby. Confira, abaixo, a tabela da competição:


Grupos:
Grupo A: Austrália, Canadá, Fiji e Irlanda
Grupo B: Rússia, Nova Zelândia, Espanha e Estados Unidos
Grupo C: Brasil, Inglaterra, França e Japão.


Sábado – (20/2) – Horário de Brasília
Jogo 1: 11h - Inglaterra x Japão
Jogo 2: 11h22 - França x Brasil
Jogo 3: 11h44 - Austrália x Fiji
Jogo 4: 12h06 - Canadá x Irlanda
Jogo 5: 12h28 - Rússia x Espanha
Jogo 6: 12h50 - Nova Zelândia x Estados Unidos

Jogo 7: 13h44 - Inglaterra x Brasil
Jogo 8: 14h06 - França x Japão
Jogo 9: 14h28 - Austrália x Irlanda
Jogo 10: 14h50 - Canadá x Fiji
Jogo 11: 15h12 - Rússia x Estados Unidos
Jogo 12: 15h34 - Nova Zelândia x Espanha

Jogo 13: 16h28 - Inglaterra x França
Jogo 14: 16h50 - Japão x Brasil
Jogo 15: 17h12 - Austrália x Canadá
Jogo 16: 17h34 - Fiji x Irlanda
Jogo 17: 17h56 - Rússia x Nova Zelândia
Jogo 18: 18h18 - Espanha x Estados Unidos


Domingo (21/2)
Jogo 19: 11h - 1º colocado do Grupo A x 2º melhor terceiro colocado
Jogo 20: 11h22 - 1º colocado do Grupo B x melhor terceiro colocado
Jogo 21: 11h44 - 1º colocado do Grupo C x 2º colocado do Grupo A
Jogo 22: 12h06 - 2º colocado do Grupo B x 2º colocado do Grupo C
Jogo 23: 12h28 - 3º melhor terceiro colocado x 3º melhor quarto colocado
Jogo 24: 12h50 - Melhor quarto colocado x 2º melhor quarto colocado
Jogo 25: 14h28 - Perdedor de Jogo 19 x Perdedor de Jogo 22
Jogo 26: 14h50 - Perdedor de Jogo 20 x Perdedor de Jogo 21
Jogo 27: 15h12 - Vencedor de Jogo 19 x Vencedor de Jogo 22
Jogo 28: 15h34 - Vencedor de Jogo 20 x Vencedor de Jogo 21
Jogo 29: 15h56 - Perdedor de Jogo 23 x Perdedor de Jogo 24
Jogo 30: 16h58 - Disputa da Taça Bronze: Vencedor de Jogo 23 x Vencedor de Jogo 24
Jogo 31: 17h26 - Disputa de 7º e 8º lugares: Perdedor de Jogo 25 x Perdedor de Jogo 26
Jogo 32: 17h48 - Disputa da Taça Prata: Vencedor de Jogo 25 x Vencedor de Jogo 26
Jogo 33: 18h16 - Disputa de 3 e 4º lugares: Perdedor de Jogo 27 x Perdedor de Jogo 28
Jogo 34: 18h41 - Disputa da Taça Ouro: Vencedor de Jogo 27 x Vencedor de Jogo 28

Imagem: 


Sobre a Confederação Brasileira de Rugby:
“A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) tem o apoio do Comitê Olímpico doBrasil e do Ministério do Esporte, conta com o patrocínio máster do Bradesco e, como patrocinadores principais, Topper, Heineken, CCR, JAC Motors, Rumo ALL e Unilever, através das marcas Dove Man Care e Kibon. Conta ainda com Alupar, Cultura Inglesa, Brookfield Incorporações e BR Properties como patrocinadores oficiais. Também são fornecedores e apoiadores do rugby brasileiro Integralmédica, Cremer, Travel Ace, Fortify, Deloitte e JExperts.

O rugby é o segundo esporte coletivo mais praticado no mundo, com quase 7 milhões de jogadores registrados e presente em mais de 170 países. No Brasil, são mais de 3,2 milhões fãs de acordo com o Ibope Repucom, mais de 300 agremiações esportivas e 60 mil atletas e praticantes, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a World Rugby (a federação internacional de Rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.”

Ler mais

COM BOM PÚBLICO, BRASIL E URUGUAI FAZEM GRANDE CLÁSSICO PELO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AMÉRICAS

Tupis demonstram evolução diante dos Teros e ficam perto da vitória. Mesmo com a derrota apertada, equipe verde e amarela garante ponto bônus

15/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Barueri (SP) – Em jogo de alternâncias no placar e muita emoção, a Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV fez um grande duelo diante do Uruguai, nesta sexta-feira (12), na Arena Barueri, em jogo válido pela segunda rodada do Americas Rugby Championship. Apesar da derrota apertada por 33 a 29, os Tupis exibiram diversos repertórios ofensivos e defensivos e estiveram grande parte do duelo à frente do placar.

 

O resultado garante ponto bônus defensivo à equipe, assim como na primeira rodada, diante do Chile. A Arena Barueri recebeu público de cerca de 3,2 mil pessoas. Elas incentivaram do início ao fim o time.

 

“O jogo foi muito duro, muito parelho. Uruguai é uma equipe muito experiente, acabou de disputar uma Copa do Mundo. Vamos continuar trabalhando. Estamos no caminho certo, mostramos evolução com relação à última partida e foi por pouco que não conquistamos o êxito”, comenta Moisés Duque.

 

“Em relação ao crescimento do rugby, é fantástico. Estivemos na Arena Barueri, com um grande público acompanhando o rugby. Nós mandamos no jogo, empurramos o Uruguai, mas pecamos nos cartões amarelos. Estou muito contente com o crescimento da modalidade e temos certeza de que estamos no caminho certo”, comenta Sami Arap Sobrinho, presidente da Confederação Brasileira de Rugby.

 

O confronto diante do Uruguai é mais um grande passo da Confederação Brasileira de Rugby no processo de desenvolvimento a longo prazo do esporte no país. Dirigentes e jogadores destacam a importância de se enfrentar equipes melhores ranqueadas para que o time adquiria experiência e evolua em aspectos físicos, técnicos e táticos.

 

“Temos um plano de jogo bem definido. O time é bastante jovem e este é o começo. Estamos em crescimento. Deu para sentir a força da torcida”, afirma Daniel Sancery, que anotou um try do Brasil.

 

Na próxima rodada, o Brasil viaja até o Canadá para enfrentar a seleção local.

 

O JOGO

Muito incentivo e bateria para animar a torcida. Diante de um bom público na Arena Barueri, a Seleção Brasileira de Rugby XV estreou em casa pelo Americas Rugby Championship. O clássico diante do Uruguai marcou o encontro dos Tupis com a sua torcida.

 

A força dos torcedores deu gás extra para os brasileiros. De maneira eletrizante, os Tupis abriram o placar com penal convertido por Harvey, logo no início do confronto. A equipe uruguaia descontou na sequência, contudo, não impediu o momento avassalador dos donos da casa.

 

Com try e chutes, o Brasil abriu vantagem de 16 a 3 no marcador. Os setores ofensivo e defensivo, em grande sintonia, impediram o avanço dos vizinhos sul-americanos e garantiram as posses de bola no setor de ataque dos Tupis, protegendo a retaguarda.

 

Na metade final do primeiro tempo, os "Teros" cresceram na partida e anotaram dois tries. O Brasil foi ao intervalo com vantagem de um ponto no marcador e aclamado pela torcida após o grande desempenho.

 

No retorno para o segundo tempo, os uruguaios ficaram em vantagem após êxito de Silva, em cobrança de penal. O fato não abateu os brasileiros. Os Tupis reassumiram a liderança após penal convertido por Harvey e, minutos depois, levaram a torcida ao delírio com belo try de Daniel Sancery.

 

O duelo permaneceu equilibrado, com Uruguai e Brasil alternando a liderança no placar. Harvey colocou os Tupis em vantagem, contudo, nos minutos finais, os Teros anotaram o try que determinou o marcador.

 

Serviço:
Americas Rugby Championship – 2ª rodada
Brasil 29 x 33 Uruguai

 

Data/horário: 12 de fevereiro de 2016, às 20h (horário de Brasília)
Local: Arena Barueri (Endereço: Av. Pref. João Vila-Lobos Quero, 1001 - Jardim Belval, Barueri - SP, 06422-122)
Árbitro: Damián Schneider (ARG)
Assistentes: Xavier Vouga e Henrique Platais

 

Brasil: 1 – Wilton Rebolo (São José); 2 – Yan Rosetti (CUBA, Argentina); 3 – Jardel Vettorato (San Diego); 4 – Lucas Piero Moraes (Desterro); 5 – Luis Vieira (Oyonnax, França); 6 – Mark Jackson (Desterro); 7 – Cleber Dias (Wallys); 8 – João da Ros (Desterro); 9 – Lucas Duque (São José); 10 – David Harvey (*em transição); 11 – Lucas Muller (Desterro); 12 – Moisés Duque (São José); 13 – Felipe Sancery (*em transição); 14 – Guilherme Coghetto (Farrapos); 15 – Daniel Sancery (*em transição);

 

Reservas: 16 – Daniel Danielewicz (Desterro); 17 – Caique Silva (CUQ-ARG); 18 – Vitor Ancina (Curitiba); 19 – Felipe Tissot (Curitiba); 20 – Nicholas Smith (SPAC); 21 – Mateus Tavares (Niterói); 22 – Laurent Couhet (Band Saracens); 23 – Yan Machado (Curitiba).

 

Técnico: Rodolfo Ambrosio.

 

Uruguai: 1 – Mateo Sanguinetti; 2 – Carlos Arboleya; 3 – Juan Echeverría; 4 - Franco Lamanna; 5 – Diego Magno; 6 – Gonzalo Soto; 7 – Matías Beer; 8 – Alejandro Nieto; 9 – Guillermo Lietjenstein; 10 – Rodrigo Silva; 11 – Federico Favaro; 12 – Andrés Vilaseca; 13 – Pedro Deal; 14 – Leandro Leivas e 15 – Santiago Martínez.

 

Reservas: 16 – Germán Kessler; 17 – Facundo Gattas; 18 – Ignacio Secco; 19 – Ignacio Dotti; 20 – Lukas Lacoste; 21 – Martín Secco; 22 – Santiago Arata e 23 – Alberto Román.

 

Técnico: Esteban Meneses

 

Imagem: João Neto/Fotojump

Ler mais

COMUNICADO WORLD RUGBY SOBRE O ZIKA VÍRUS

Comunicado WORLD RUGBY sobre o ZIKA VÍRUS

11/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

 

O QUE É?

O vírus Zika é uma infecção transmitida por mosquito. Esses mosquitos picam de dia, particularmente ao redor do amanhecer e entardecer. A infecção com frequência se dá sem sintomas, porém em alguns casos pode causar febre, erupções, fortes dores de cabeça, dores nas articulações e dores nos músculos ou ossos. A doença proveniente do Zika normalmente não é grave e não requer internação hospitalar.

Atualmente não há uma vacina para impedir o vírus Zika e não há tratamentos específicos.

 

O QUE FAZER?

Dia 1 de fevereiro de 2016 a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou que não há justificação da saúde pública para estabelecer restrições às viagens ou ao comércio para impedir a propagação do vírus Zika. Atualmente, as medidas protetoras mais importantes são o controle da propagação dos mosquitos e a prevenção de picadas de mosquitos em pessoas em situação de risco, especialmente mulheres gravidas.

A World Rugby recomenda que as mulheres grávidas considerem evitar viajar para regiões onde se tem transmissão do vírus Zika, incluindo Brasil. As mulheres que tem planos de ficarem gravidas ou mulheres que estão gravidas, que não podem evitar viajar para zonas afetadas, devem analisar seus planos de viajem com seu médico. Todos os membros da equipe e dirigentes que viajarão para uma zona que se sabe que existe o vírus Zika, se recomenda encarecidamente que se protejam adotando as medidas de prevenção para prevenir as picadas dos mosquitos (ver abaixo um link com o conselho da OMS).

  • Usar camisas de mangas compridas e calças compridas (incluindo quando jogar Rugby: foi permitido uma lei especial 4 para os jogos ou torneios em território de uma União que existe o vírus Zika ) .
  • Usar calçado fechado ao invés de sandálias.
  • Usar repelentes de insetos que contenham DEET ou picaridina. Sempre usar segundo as indicações. As seguintes precauções se recomendam tanto de dia como de noite. Os repelentes de insetos que contem DEET e picaridina são seguros para mulheres grávidas e que estão amamentando e para crianças menores de 2 meses quando se usam de acordo com as instruções do rótulo do produto.
  • Se você está usando protetor solar, primeiro colocar o protetor e depois o repelente.
  • Usar roupas (tal como botas, calças, meias) tratada com permetrina.
  • Usar telas de mosquitos sobre a cama quando for necessário.
  • Permanecer e dormir em lugares com mosquiteiros e ar condicionado.

 

Para obter informação atualizada sobre o vírus Zika consultar: www.who.int/en

 

Fonte: World Rugby

Ler mais

EM CASA, BRASIL ENFRENTA URUGUAI PELO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AMÉRICAS

Tupis fazem clássico diante dos “Teros” com entrada gratuita ao público

11/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Barueri (SP) – Com apoio da torcida, a Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV estreia em casa, nesta sexta-feira (12), pelo Americas Rugby Championship, o maior torneio das Américas nesta categoria. Os Tupis fazem o clássico diante do Uruguai, a partir das 20h (horário de Brasília), na Arena Barueri.

Na abertura da competição, os meninos do Brasil garantiram ponto bônus diante do Chile, fora de casa. Apesar da apertada derrota por 25 a 22, os Tupis tiveram bons desempenhos coletivo e individual, fizeram um duelo parelho e ficaram bem próximos da vitória.

“O objetivo agora, no curto e médio prazo, não é procurar vitórias ressonantes diante de grandes times, mas sim de melhorar e muito as performances individual e coletiva”, afirma Agustin Danza, CEO da Confederação Brasileira de Rugby.

O público brasileiro terá a oportunidade de incentivar os Tupis e ainda acompanhar um duelo de alto nível. O Uruguai foi um dos representantes sul-americanos na última edição da Copa do Mundo de Rugby. Na primeira rodada do Americas Rugby Championship, os “Teros” foram derrotados pelo Canadá por 33 a 17.

Os ingressos para o confronto são gratuitos, mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível. O Americas Rugby Championship reunirá, além de Brasil e Uruguai, a Argentina, o Canadá, os Estados Unidos e o Chile. A competição será disputada de 6 de fevereiro até 5 de março. Cada seleção fará cinco partidas. Para mais informações, acesse o site oficial da Confederação Brasileira de Rugby.

 

Confira, abaixo, a lista de jogadores relacionados para o clássico entre Brasil e Uruguai:

1 – Wilton Rebolo (São José);
2 – Yan Rosetti (CUBA, Argentina);
3 – Jardel Vettorato (San Diego);
4 – Lucas Piero Moraes (Desterro);
5 – Luis Vieira (Oyonnax, França);
6 – Mark Jackson (Desterro);
7 – Cleber Dias (Wallys);
8 – João da Ros (Desterro);
9 – Lucas Duque (São José);
10 – David Harvey (*em transição);
11 – Lucas Muller (Desterro);
12 – Moisés Duque (São José);
13 – Felipe Sancery (*em transição);
14 – Guilherme Coghetto (Farrapos);
15 – Daniel Sancery (*em transição);
16 – Daniel Danielewicz (Desterro);
17 – Caique Silva (CUQ-ARG);
18 – Vitor Ancina (Curitiba);
19 – Felipe Tissot (Curitiba);
20 – Nicholas Smith (SPAC);
21 – Mateus Tavares (Niterói);
22 – Laurent Couhet (Band Saracens);
23 – Yan Machado (Curitiba).
Técnico: Rodolfo Ambrosio.

 

Credenciamento para Brasil x Uruguai

O credenciamento para o clássico entre Brasil e Uruguai, válido pela segunda rodada do Americas Rugby Championship, no dia 12 de fevereiro, está aberto. Os profissionais de imprensa devem enviar as informações abaixo para os e-mailskaique.ferreira@inpresspni.com.br e luis.garcia@mginpress.com.br :

* Nome completo

*  RG/CPF

*  Telefone e e-mail para contato

Após o envio das informações, a Confederação Brasileira de Rugby encaminhará a confirmação do credenciamento.

Serviço:
Americas Rugby Championship – 2ª rodada
Brasil x Uruguai

Data/horário: 12 de fevereiro de 2016, às 20h (horário de Brasília)
Local: Arena Barueri (Endereço: Av. Pref. João Vila-Lobos Quero, 1001 - Jardim Belval, Barueri - SP, 06422-122)
Árbitro: Damián Schneider (ARG)
Assistentes: Xavier Vouga e Henrique Platais

 

Imagem: Divulgação

 

Sobre a Confederação Brasileira de Rugby:

“A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) tem o apoio do Comitê Olímpico doBrasil e do Ministério do Esporte, conta com o patrocínio máster do Bradesco e, como patrocinadores principais, Topper, Heineken, CCR, JAC Motors, Rumo ALL e Unilever, através das marcas Dove Man Care e Kibon. Conta ainda com Alupar, Cultura Inglesa, Brookfield Incorporações e BR Properties como patrocinadores oficiais. Também são fornecedores e apoiadores do rugby brasileiro Integralmédica, Cremer, Travel Ace, Fortify, Deloitte e JExperts.

O rugby é o segundo esporte coletivo mais praticado no mundo, com quase 7 milhões de jogadores registrados e presente em mais de 170 países. No Brasil, são mais de 3,2 milhões fãs de acordo com o Ibope Repucom, mais de 300 agremiações esportivas e 60 mil atletas e praticantes, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a World Rugby (a federação internacional de Rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.”

Ler mais

UMA OPORTUNIDADE PARA OS FÃS FAZEREM PARTE DO NOSSO SONHO OLÍMPICO.

Atleta Beatriz Futuro fala da expectativa para o Super Desafio Bra de Rugby Sevens e Rio 2016

10/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

Em sua primeira coluna exclusiva para os canais de comunicação da World Rugby, a estrela da Seleção Brasileira de Rugby,   Beatriz Futuro,  conhecida por seus fãs e amigos como Baby, explica porque ela está contando os dias para o rugby feminino ter a chance de dar um show em São Paulo e depois no Rio 2016. Confira!

Jogar em casa é sempre emocionante – jogar na frente dos seus amigos, família e de toda a comunidade do rugby brasileiro.

Quando você consegue ver um “buraco” e quebrar a linha de oposição da defesa ou fazer um tackle monstruoso e ouvir a multidão enlouquecer, parece como se você tivesse um jogador a mais em campo.

Essa emoção e paixão se tornam uma força que alimenta ainda mais nossa energia, orgulho e determinação em campo.

Pela terceira vez, nos dias 20 e 21 de fevereiro, nós voltaremos a sediar o Super Desafio Bra de Rugby Sevens, o Circuito Mundial de Rugby Feminino.

Receber as 12 melhores equipes de sevens do mundo nos dá uma grande oportunidade para promover ainda mais o nosso esporte e trazer mais adeptos para um mercado de esportes onde estamos ganhando a nossa posição.

O Brasil é uma nação esportiva orgulhosa; nós amamos nosso futebol e outros esportes, como vôlei, handebol, judô, e muitos outros que alcançaram excelentes resultados no cenário internacional. Recentemente, tivemos um campeão mundial de surf, fazendo com que a popularidade do esporte subisse rapidamente.

Então, olhando para isso com uma perspectiva mais ampla, o rugby é novo para o país. Além disso, o rugby feminino ainda enfrenta certo preconceito pelos estereótipos tradicionais do gênero feminino. Como tal, este torneio internacional de sevens é a melhor maneira de apresentar o rugby feminino na sua melhor perspectiva.

O Super Desafio Bra de Rugby 7s é também essencial para os Jogos Olímpicos. As quatro melhores equipes da série do ano passado se qualificaram automaticamente para o Rio 2016. A série deste ano é sobre como as equipes estão se preparando para o que será uma oportunidade incrível para todos nós, uma vez que os pontos acumulados na série irá impactar diretamente no chaveamento dos grupos nas Olimpíadas.

 

UM SONHO SE TORNOU REALIDADE.

Com cada equipe tendo esse aumento da pressão para alcançar os melhores resultados possíveis, estamos focando e investindo mais em nossa preparação. Quando você pensa sobre a equação balanceada, passamos milhares de horas treinando com a finalidade de jogar 14 minutos que é o que importa. É tudo sobre a colocação de meses de treinamento em vigor no momento certo.

Nós recentemente passamos uma semana na África do Sul, na Stellenbosch Academy of Sport e foi uma grande oportunidade para treinar, exercitar-se, recuperar, comer bem, e jogar vários jogos dando mais um passo nos preparativos para a próxima rodada da série .

Foi um camp muito proveitoso nós ganhamos sete dos nossos oito jogos contra o Springbok Women’s Sevens e nós trabalhamos sobre as estratégias que pretendemos utilizar mais a frente. Outro aspecto importante foi passarmos uma semana juntas, conhecendo mais umas as outras e desfrutando da companhia de outra equipe competitiva.

Mesmo sendo grande adeversárias dentro de campo, fora compartilhamos experiências comuns e se divertimos como "ma friends" - como chamamos um ao outro. Uma das qualidades essenciais de Rugby - construídas sobre valores de integridade, paixão, solidariedade, disciplina e respeito - é que, como uma comunidade, nós abraçamos cada jogador e aficionados pelo rugby.

Logo, a Arena Barueri vai se tornar um estádio de rugby por um alguns dias. Será mais uma oportunidade de jogar em casa e aproveitar a energia que vem dos nossos fãs. Será também uma oportunidade para os fãs fazerem parte do nosso sonho olímpico.

Toda nossa preparação tem um objetivo no horizonte, que é em Agosto, quando o rugby feminino vai fazer sua estréia nos Jogos Olímpicos. Brasil será envolvido na maior festa de rugby internacional.

Para nós, como jogadores, é um sonho se tornando realidade. Ainda mais, que tudo isso vai acontecer em nossa casa.

 

Para obter informações sobre ingressos para estreia do rugby nos Jogos Olímpicos no Rio, visite www.rio2016.com/tickets.

Artigo original publicado no site da World Rugby, http://www.worldrugby.org/womens-sevens-series/news/137669

Ler mais

BRASIL DÁ GRANDE PASSO EM PLANO DE DESENVOLVIMENTO A LONGO PRAZO NO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AM

Contra seleções melhores ranqueadas, Tupis visam ao ganho de experiência para o crescimento da modalidade no país

05/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

São Paulo (SP) – Ao pisar no gramado do estádio Parque Mahuida, em Santiago (CHI), neste sábado (6), a Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV dará um importante e histórico passo no processo de crescimento do esporte. Os Tupis estreiam no Americas Rugby Championship, torneio inspirado no tradicional Six Nations europeu, diante do Chile, a partir das 19h (horário de Brasília).

A competição conta com grandes seleções, como Argentina (quinta colocada no ranking mundial), e faz parte do planejamento a longo prazo da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). Este é o maior torneio já encarado pelo time na história. Neste momento, adquirir experiência e a evolução de ações individuais e coletivas são primordiais, mesmo em detrimento dos resultados.

“Daremos nosso melhor em campo, mas nesse momento não olhemos para o placar, mas sim para a performance e melhorias da nossa seleção”, afirma Agustin Danza, CEO da CBRu.

Iniciado no final de 2014, o processo de desenvolvimento no Brasil conta com a detectação e o desenvolvimento de talentos da modalidade em academias específicas de rugby espalhadas pelo país.

Em cada local, os atletas selecionados treinam múltiplas vezes por semana e contam com o apoio e supervisão de manager-técnico, preparadores-físicos, fisioterapeutas, apoio de nutricionistas e de psicólogos em prol dos atletas. Análise de vídeo, de GPS, testes nutricionais e físicos avançados também são algumas ferramentas utilizadas pela CBRu no processo de desenvolvimento do esporte.

Além disso, um dos pilares para o crescimento da modalidade é o ganho de experiência diante de seleções mais tradicionais e melhores ranqueadas. No projeto de desenvolvimento a longo prazo, a CBRu trouxe o técnico argentino Rodolfo Ambrosio para implementar o Sistema de Alto Rendimento no Brasil. Ele construiu em sua terra-natal a base da seleção que atualmente figura no ‘Top 5 mundial’ e foi semifinalista na última edição da Copa do Mundo da categoria.

Contudo, a Argentina encontrou obstáculos no começo. Nas três primeiras edições do Rugby Championship, o país-vizinho ganhou só um jogo de 18 disputados. Durante este período, o time teve grandes evoluções físicas e técnicas, tanto coletiva como individual, além de adquirir muita experiência contra adversários mais fortes.

O gráfico abaixo, com base em números da World Rugby até 2014, narra o crescimento das seleções ao longo do tempo. Argentina, time que seguiu o processo de Alto Rendimento há pouco tempo, mostra o seu crescimento, mesmo diante de oscilações naturais.

O apoio da torcida é fundamental no processo de desenvolvimento do esporte. Nesta edição do Americas Rugby Championship, o país receberá três dos cinco jogos. Barueri será sede dos confrontos diante de Uruguai e Estados Unidos, enquanto São José dos Campos abrigará o duelo diante da forte Argentina. Os Tupis estão garantidos nas cinco edições do torneio.

Em campo, a estratégia de enfrentar equipes que figuram acima no ranking mundial auxilia no ganho de experiência e desenvolvimento dos atletas. Na última temporada, a Seleção Masculina enfrentou Alemanha em dois test-matches. As derrotas não abalaram time e torcida. Em Blumenau, houve lotação máxima do estádio. Já no estádio do Pacaembu, teve quebra de recorde: mais de 10 mil presentes foram ao tradicional local.

“Fora de campo, o crescimento do interesse do público pela modalidade nos motiva. O número de praticantes e fãs do rugby cresce a cada dia. Nosso trabalho também já foi reconhecido com prêmio de Gestão e Governança do esporte. O desenvolvimento no Brasil passa por um caminho de trabalho árduo, e temos que manter o rumo nos próximos anos, sem perder o nosso Norte”, completa Danza.

Com a participação no Americas Rugby Championship, o Brasil se destaca por estar entre as principais seleções do continente, aproximar o público de estrelas mundiais e desenvolver a experiência de seus atletas.

Confira, abaixo, a convocação do Brasil para a estreia diante do Chile:

Arthur Bergo (SPAC)
Beukes Cremer (PASTEUR)
Caique Silva (CUQ- ARG)
Daniel Danielewicz (DESTERRO)
Daniel Sancery* 
David Hervey* 
Felipe Sancery* 
Felipe Tissot (CRC)
Jardel Vettorato (SAN DIEGO)
João Luiz da Ros (DESTERRO)
Laurent Bourda (BANDEIRANTES SARACENS)
Lucas Abud (SPAC)
Lucas Duque (SÃO JOSÉ)
Lucas Muller (DESTERRO)
Lucas Piero de Moraes (DESTERRO)
Lucas Tranquez (SPAC)
Luiz Gustavo Lemes Viera (OYONNAX-FRA)
Mark Jackson (DESTERRO)
Martin Schaefer (SPAC)
Moises Duque (SÃO JOSÉ)
Nick Smith (SPAC)
Stefano Giantorno*
Vitor Ancina de Oliveira (CRC)
Wilton Rebolo (SÃO JOSÉ)
Yan Rosetti (CUBA-ARG)

*atletas em período de transição entre clubes.

Ler mais
594 results
Liquid error: Could not find asset snippets/size-chart.liquid