APOIO DO MINISTÉRIO DO ESPORTE PROMOVE CRESCIMENTO DO RUGBY

Estamos há quatro meses dos Jogos Olímpicos Rio 2016, mas o trabalho de preparação dos atletas começou já há alguns anos.  Em 2012, a Confederação Brasileira de Rugby e o Ministério do Esporte fecharam o convênio 775350/2012, por meio do Sistema de Convênios e Contratos de Repasse (SICONV) do Governo Federal, visando o desenvolvimento e implementação de projetos de alto rendimento para as seleções olímpicas feminina e masculina visando sua preparação para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Os investimentos somados em R$ 8,46 milhões permitiram à Confederação o custeio de mais de quinze viagens para a participação da seleção olímpica feminina e masculina em torneios competitivos no exterior, imprescindíveis ao aprimoramento técnico e melhoras de performances individuais e coletivas dos atletas. Entre os destinos, estão torneios no Quênia, Rosário, Viña del Mar, Roma, Las Vegas, Paris, Londres, entre outros.

O convênio também possibilitou a contratação da uma comissão técnica conceituada no cenário do rugby internacional, para treinar as Seleções Brasileiras de Rugby Sevens masculina e feminina, respectivamente, bem como a manutenção de toda a comissão técnica da Confederação, que engloba médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros profissionais que contribuem para o desenvolvimento do rugby brasileiro.

O acordo ainda permitiu o oferecimento de ajuda de custo para que mais de 40 atletas com potencial olímpico pudessem se dedicar à prática diária da modalidade.

Em outubro de 2015, o presidente da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu), Sami Arap, esteve em Brasília com o Ministro do Esporte, George Hilton, e o Secretário Executivo, Ricardo Leyser, para celebrar os recursos complementares de R$ 3,7 milhões oriundos da prorrogação deste mesmo convênio.

Para Sami Arap o apoio pró-ativo e incondicional do Ministério do Esporte foi primordial para que o rugby alcançasse as metas de curto, médio e longo prazo traçadas pela Administração da entidade.

“Graças ao apoio do Ministério do Esporte conseguimos estruturar nossas Seleções Olímpicas e conseguir executar um ambiente de Alto Rendimento durante 3 anos. O apoio do ME foi fundamental na preparação dos nossos times graças ao financiamento de viagens, salários e custos operacionais de seleções. Eles são verdadeiros torcedores do Rugby e esperamos que fiquem orgulhosos de nós depois do Rio 2016”, completa Agustin Danza, CEO da Confederação Brasileira de Rugby. 

Para o Ministro do Esporte, Ricardo Leyser, no que depender do governo brasileiro, o apoio se manterá. “O Ministério do Esporte tem especial carinho pelo crescimento do rúgbi brasileiro e se orgulha de estar participando desse momento único. Quando a modalidade sevens foi incluída no programa dos Jogos Olímpicos de 2016, era a oportunidade ideal para que o governo brasileiro investisse nas medidas necessárias ao desenvolvimento do rúgbi nacional.”, afirma o Ministro. 

Postar comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados