BRASIL DÁ GRANDE PASSO EM PLANO DE DESENVOLVIMENTO A LONGO PRAZO NO MAIOR TORNEIO DE RUGBY XV DAS AM

Contra seleções melhores ranqueadas, Tupis visam ao ganho de experiência para o crescimento da modalidade no país

05/02/2016 | Confederação Brasileira de Rugby.

São Paulo (SP) – Ao pisar no gramado do estádio Parque Mahuida, em Santiago (CHI), neste sábado (6), a Seleção Brasileira Masculina de Rugby XV dará um importante e histórico passo no processo de crescimento do esporte. Os Tupis estreiam no Americas Rugby Championship, torneio inspirado no tradicional Six Nations europeu, diante do Chile, a partir das 19h (horário de Brasília).

A competição conta com grandes seleções, como Argentina (quinta colocada no ranking mundial), e faz parte do planejamento a longo prazo da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). Este é o maior torneio já encarado pelo time na história. Neste momento, adquirir experiência e a evolução de ações individuais e coletivas são primordiais, mesmo em detrimento dos resultados.

“Daremos nosso melhor em campo, mas nesse momento não olhemos para o placar, mas sim para a performance e melhorias da nossa seleção”, afirma Agustin Danza, CEO da CBRu.

Iniciado no final de 2014, o processo de desenvolvimento no Brasil conta com a detectação e o desenvolvimento de talentos da modalidade em academias específicas de rugby espalhadas pelo país.

Em cada local, os atletas selecionados treinam múltiplas vezes por semana e contam com o apoio e supervisão de manager-técnico, preparadores-físicos, fisioterapeutas, apoio de nutricionistas e de psicólogos em prol dos atletas. Análise de vídeo, de GPS, testes nutricionais e físicos avançados também são algumas ferramentas utilizadas pela CBRu no processo de desenvolvimento do esporte.

Além disso, um dos pilares para o crescimento da modalidade é o ganho de experiência diante de seleções mais tradicionais e melhores ranqueadas. No projeto de desenvolvimento a longo prazo, a CBRu trouxe o técnico argentino Rodolfo Ambrosio para implementar o Sistema de Alto Rendimento no Brasil. Ele construiu em sua terra-natal a base da seleção que atualmente figura no ‘Top 5 mundial’ e foi semifinalista na última edição da Copa do Mundo da categoria.

Contudo, a Argentina encontrou obstáculos no começo. Nas três primeiras edições do Rugby Championship, o país-vizinho ganhou só um jogo de 18 disputados. Durante este período, o time teve grandes evoluções físicas e técnicas, tanto coletiva como individual, além de adquirir muita experiência contra adversários mais fortes.

O gráfico abaixo, com base em números da World Rugby até 2014, narra o crescimento das seleções ao longo do tempo. Argentina, time que seguiu o processo de Alto Rendimento há pouco tempo, mostra o seu crescimento, mesmo diante de oscilações naturais.

O apoio da torcida é fundamental no processo de desenvolvimento do esporte. Nesta edição do Americas Rugby Championship, o país receberá três dos cinco jogos. Barueri será sede dos confrontos diante de Uruguai e Estados Unidos, enquanto São José dos Campos abrigará o duelo diante da forte Argentina. Os Tupis estão garantidos nas cinco edições do torneio.

Em campo, a estratégia de enfrentar equipes que figuram acima no ranking mundial auxilia no ganho de experiência e desenvolvimento dos atletas. Na última temporada, a Seleção Masculina enfrentou Alemanha em dois test-matches. As derrotas não abalaram time e torcida. Em Blumenau, houve lotação máxima do estádio. Já no estádio do Pacaembu, teve quebra de recorde: mais de 10 mil presentes foram ao tradicional local.

“Fora de campo, o crescimento do interesse do público pela modalidade nos motiva. O número de praticantes e fãs do rugby cresce a cada dia. Nosso trabalho também já foi reconhecido com prêmio de Gestão e Governança do esporte. O desenvolvimento no Brasil passa por um caminho de trabalho árduo, e temos que manter o rumo nos próximos anos, sem perder o nosso Norte”, completa Danza.

Com a participação no Americas Rugby Championship, o Brasil se destaca por estar entre as principais seleções do continente, aproximar o público de estrelas mundiais e desenvolver a experiência de seus atletas.

Confira, abaixo, a convocação do Brasil para a estreia diante do Chile:

Arthur Bergo (SPAC)
Beukes Cremer (PASTEUR)
Caique Silva (CUQ- ARG)
Daniel Danielewicz (DESTERRO)
Daniel Sancery* 
David Hervey* 
Felipe Sancery* 
Felipe Tissot (CRC)
Jardel Vettorato (SAN DIEGO)
João Luiz da Ros (DESTERRO)
Laurent Bourda (BANDEIRANTES SARACENS)
Lucas Abud (SPAC)
Lucas Duque (SÃO JOSÉ)
Lucas Muller (DESTERRO)
Lucas Piero de Moraes (DESTERRO)
Lucas Tranquez (SPAC)
Luiz Gustavo Lemes Viera (OYONNAX-FRA)
Mark Jackson (DESTERRO)
Martin Schaefer (SPAC)
Moises Duque (SÃO JOSÉ)
Nick Smith (SPAC)
Stefano Giantorno*
Vitor Ancina de Oliveira (CRC)
Wilton Rebolo (SÃO JOSÉ)
Yan Rosetti (CUBA-ARG)

*atletas em período de transição entre clubes.

Postar comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados